segunda-feira, 16 de março de 2009

Educação a Martelo

"Imaginemos duas pessoas, a pessoa A e a pessoa B. A pessoa A vê um belo quadro numa exposição de pintura e compra-o para o pendurar na parede lá de casa. Compra um martelo e pendura o quadro. Por sua vez, a pessoa B compra um martelo. E fica deslumbrada a olhar para ele.
Ora bem, a obsessão actualmente existente nas escolas relativamente às novas tecnologias está ao nível do que acontece com a pessoa B.
As novas tecnologias estão ao nível de um martelo. Em si mesmas, não servem para nada, são absolutamente inúteis. Servirão, sim, como meio para outros fins.
O que se vê, actualmente, nas escolas, são alunos e professores transformados em burros de carga, de computadores nas mãos, com um ar muito high tech. No fim, vai-se a ver o que fica de tanta tecnológica aprendizagem e vê-se apenas uma parede branca perante a qual está um jovem ignorante e semi-analfabeto, acariciando, deslumbrado, um martelo que tem na mão."

5 comentários:

as-nunes disse...

Ou seja. Há que discutir com calma e consciência, o que queremos da vida do Futuro.
Tecnologia, já? Ou preparar as crianças com capacidade de usar o seu próprio cérebro tendo em vista que venha a estar preparado para interagir com as tecnologias avançadas?
Como conciliar o Ensino, de modo a conseguir estes objectivos?
Parece que aí é que está o cerne da questão. Uns querem e não conseguem fazer nada, outros podem e não sabem o que fazer.
...
Será que vamos acabar por andar todos de martelo na mão, embasbacados e aos gritos?
Vamos lá a ver se não acabamos por atirar os martelos uns aos outros?
Já é tempo de arrumar a casa!...
António
Diálogo construtivo precisa-se.
Com muita urgência e resultados úteis e praticáveis!

TVstar disse...

É isso messssmo!! Educação a martelo, ministra a martelo, governo a martelo....um País de saloios deslumbrado pelas novas tecnologias.
Apetecia-me desatar à "martelada"...vocês sabem em quem!!!
Novas tecnologias sim, mas que elas não nos impeçam de pensar, raciocinar e apelar ao espírito crítico dos nossos alunos!!

bugsnaEDucação disse...

Desculpem lá, mas é que nem nas novas tecnologias foram bem sucedidos: ora veja-se o clone Magalhães que fala com erros; ora veja-se o plano tecnológico, por exemplo, lá na casa... é de morrer de pasmo na frente dos écrãs, isto quando a net funciona. Eu já nem sequer me atrevo a planear nada que meta pcs e quejandos, eu e os miúdos ficamos sempre frustrados!

Reverendo Bonifácio disse...

Eu gosto tanto de discordar que estou frustrado! Concordo com tudo o que dissestes, revejo-me especialmente na frustração quando se tenta utilizar a net na escola. Pronto, vou caçar um rato pois não estou a trazer nada de novo à conversa.

TVstar disse...

Sim é frustrante quando se prepara uma aula com o manual interactivo e depois chega-se à aula e....não há Internet...olha não dá acesso...olha..não funciona o computador. Enfim nem as novas tecnologias...de facto nos safam!!!