quarta-feira, 1 de abril de 2009

1 de Abril ou " A tradição já não é o que era"

.
Dia das mentiras para quê? Todos os dias são bons...

Este foi o comentário que a professora mais especial da blogosfera, que me perdoem os demais a subjectividade, nos deixou esta manhã, bem cedinho como é seu bom hábito.
.

Ando, há tempos, a planear uma entrada sobre a Teresa Martinho Marques, a dona do Tempo de Teia (com enlace aqui do lado do coração, desde que os lírios nasceram) do Muito Mais, do Sabor de Palavra, e de mais uns quantos sítios por onde vai semeando ideias e pistas preciosas, ricas de variedade, escritas na melhor Língua Portuguesa com as palavras que a sua sensibilidade apurada e os seus curiosidade-saber imensos lhe ditam.
A par das facetas de intervenção e partilha, a 3za é o exemplo de professora empenhada, dedicada até à medula, que desenvolve com os alunos um trabalho notável, do qual ela dava evidências (aqui e aqui , por exemplo) muito antes desta febre da
Avaliação De Doidos.

Ou seja, a Teresa é o exemplo de professora que esta tutela não merece .

Daí que o planeado poste pretendesse dar-lhe um destaque pelas boas razões, pelo testemunho positivo que ela nos dá, no dia-a-dia, vencendo os adamastores, criando com os seus meninos um «admirável mundo novo».

Não quis o acaso.
Comentário puxa comentário, visita com visita se paga, e cá está o poste sobre a Teresa, neste Dia das Mentiras (igual ao de ontem e ao de amanhã), que só lhe faz justiça porque ela é uma fada que as transforma em verdades.

Roubadinho da Teia, aqui fica o poste de hoje:

A tradição já não é o que era...

O Dia das mentiras (ou das inverdades) passou a ser assim como o Natal...
É sempre que se queira (e dê jeito)...


Adenda: enquanto a minha lentidão produzia esta entrada, a Teresa, generosa como é, deu-nos a honra do poste "Manter a voz acesa". Fica o agradecimento aqui, à vista de toda a gente.
Como é que a 3za cá chegou é que não faço ideia. Mas lá que fiquei contente, fiquei!

4 comentários:

Anabela Magalhães disse...

Eu também fiquei contente! Já vi e é merecido! Assim como é merecido o destaque dado à Teresa.
Beijinhos

bugsnaEDucação disse...

Há um traço de união entre nós três: a renúncia à participação numa das primeiras farsas, o concurso para titular.
Já falámos da Teresa, nós duas. Pensamos o mesmo: ela é um caso à parte.
Infelizmente, por cá poucos conhecem o seu trabalho.
Ora, os bons exemplos são para difundir, o mais possível... Porque são eles que nos puxam para cima e nos dão ânimo para fazer melhor.
Beijinhos recebidos e retribuídos, guapa Anabela

as-nunes disse...

Conheci a 3za, na blogosfera, estava eu a dar os primeiros passos nesta forma de comunicar via internet. Estaríamos por volta do ano de 2006/7.
Andámos por aí, não podendo chegar a todo o lado, tendo os nossos afazeres pessoais e profissionais.
Com o meu "dispersamente" era natural que acabasse por me dispersar e perdesse algumas pistas importantes.
Reencontrei a Teresa ao vir aqui, a este ondulante campo de lírios e, claro, era mais que natural voltar àquele "tempo de teia" que me apoiou como se seu aluno fosse, apesar de eu já ter percorrido mais anos neste Planeta.
Enfim, motivou-me à composição do meu post alusivo ao dia do Livro Infantil.
Gostaria de o partilhar convosco.

http://dispersamente.blogspot.com/2009/04/livro-infantil-dia-internacional.html

Estou a apreciar estes vossos lírios.
Espero que não se tenham amofinado muito com os meus desabafos de há dias...Parece que andamos todos, uns por isto outros por aquilo, bastante preocupados com o rumo que a vida está a levar!...
António

bugsnaEDucação disse...

Não, António, ninguém levou a mal. Pode ter havido um bate-papo acalorado mas isso é apenas efeito da democracia e reflexo, como bem diz, da preocupação com este mundo de doidos em que vivemos.
Também esperamos que não tenha levado a mal o mal-entendido do convite. Volte sempre que quiser.
Bem desejávamos que estes lírios exalassem só perfume...