sexta-feira, 17 de abril de 2009

Independência

Nunca a alheia vontade,
inda que grata,
Cumpras por própria.
Manda no que fazes,
Nem de ti mesmo servo.
Niguém te dá quem és.
Nada te mude.
Teu íntimo destino involuntário
Cumpre alto.
Sê teu filho.

Fernando Pessoa

3 comentários:

TVstar disse...

Olááá seja bem-vinda quem é uma flor...do cardo!!
Lindo poema!!
Independente!!!Sempre!!
Nada me mudará!!

bugsnaEDucação disse...

Uau!
Sempre surpreendente! E na mosca!

didium disse...

E como eu gosto de Pessoa!