quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Perfis e cenários

A par do espanto-indignação com o lodaçal político-institucional, vai-se especulando sobre a escolha para a tutela da pasta da Educação.
Será Este ou Esta? Ou ainda Aquele ou Aquela? Ou outro/a ainda?

Quanto a cenários governativos, como a formação do próximo governo não será para breve e o lodaçal impera, está tudo em aberto.

a nível de cada escola e mesmo a nível mais individual, os cenários são também diversos.

No nosso caso, temos um calendário de avaliação pressurosamente fixado no passado dia 25, cuja primeira etapa expira já no dia 2 de Outubro, depois de amanhã.
Não vejo, francamente, qual o motivo para tanta pressa, sobretudo porque ainda não sabemos o resultado da anterior avaliação.

Mais, sabe-se lá se o trapo do "simplex-simplex-dá-para-tudo" vai ser definitivamente esfarrapado.
Não, não é que acredite no Pai Natal! Mas , já agora, alguém tem poderes de vidência?

O facto é que da minoria resistente uns se vão deixando seduzir e outros continuam a resistir. Todos se sentindo "traídos e roubados", como bem diz o Ramiro Marques aqui.

Numa coisa discordo dele: a luta dos professores não pode acabar aqui. Mas radica, mais do que nunca, no seio das escolas. É só mais uma das iniquidades da cessante maioria ps que, como Pilatos, crucificou e lavou as mãos.

Sobre este assunto também o Paulo Guinote se pronuncia no poste O problema É O Calendário, e de forma algo mais positiva, já que mais não seja por lembrar, num dos comentários, que nenhuma lei é lei para sempre.

Que Lodaçal!

Diria o Ega, se aqui e agora voltasse.

A Lelé Batita, dona do Pérola da Cultura, cujas palavras subscrevo na íntegra chama-lhe:

Um pântano!
Não me lembro de muitos tempos assim: a descredibilização das instituições do Estado, as suspeições ao mais alto nível, a desconfiança e a "vulnerabilidade" onde deveria haver segurança, são assim os dias de hoje em Portugal.
Um eleitorado estafado e uma abstenção que é, verdadeiramente, a mais real vencedora - hélas! - desta ronda eleitoral tripla que vai culminar com as autárquicas, são a triste realidade que estamos a tentar deglutir diariamente.
"Uma choldra!" merecedora de bengaladas, diria Eça de Queiroz.
Um pântano nauseabundo que dá vontade de emigrar, digo eu!

Nota: Só não utilizo nenhuma das imagens de pântano, que pesquisei, porque todas me pareceram demasiado belas para ilustrar o locus horrendus em que nos encontramos.

A foto do Tâmega conspurcado aqui acima, da autoria da Anabela Magalhães, está muito mais de acordo com a porcaria da coisa.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Segunda-feira, 28 de Setembro de 2009
RESCALDO E PERSPECTIVAS

Numas eleições ganha-se, perde-se, altera-se qualquer coisa ou fica tudo na mesma.

A curiosidade é que, face aos resultados eleitorais de ontem, tudo isso aconteceu: o PS perdeu a maioria absoluta, todos os outros partidos ganharam em número de votos e de deputados, o cenário na Assembleia da República alterou-se, mas... com José Sócrates, vencedor relativo, tudo vai continuar como dantes ou mesmo piorar.

Desengane-se quem pensa que Sócrates vai alterar o seu estilo, a sua arrogância e, sobretudo, o seu cinismo. Pelo contrário, tudo fará para acentuar mais as provocações, "vingar" a derrota do seu poder absoluto, esvaziar os opositores e, assim, desencadear eleições antecipadas e conseguir nova maioria absoluta em 2011, redesenhando o cenário da sua obsessão: uma maioria, um governo e um presidente.

Aqueles que lhe retiraram o tapete do "absolutismo" vão ser cilindrados, mesmo que por processos mais subreptícios ou artilhados de "casquinhas de bananas" e "rebuçadinhos" distribuídos pelas pessoas certas nos lugares certos.

Aos docentes resta exigir a todos os partidos - que elevaram o seu nível de representatividade graças ao voto de milhares de professores - o respeito pelo "Compromisso Educação": revogação do ECD, suspensão deste modelo de Avaliação e reposição da dignidade dos Professores.

Não vai ser fácil. Os professores têm de estar preparados para uma luta talvez ainda mais dura que aí vem.

Publicada por ILÍDIO TRINDADE

Campanha vai, campanha vem...

Acabou-se uma campanha, começa outra. A bem dizer, desde meados de Maio que andamos nela.
A seu tempo bem pedi que me explicassem, como se eu fosse uma criança de 4 anos, por que raio as eleições legislativas não coincidiam com as autárquicas. Nada!

Cá na minha simplicidade fico a pensar que é por sermos um país rico, a viver um período de vacas gordas... Ou talvez seja por andarmos muito contentes, muito "in the mood" para festas.

Ora bem, já que assim é, de hoje até dia 11 vamos lá à campanha!

Que me perdoem os interesses mais gerais da comunidade, mas vou começar por uma reivindicação particular, tão antiga quanto a promessa de a resolver. E para que não restem dúvidas de que a promessa é mesmo antiga aqui vos deixo a prova:



O diz-que-diz-que assegurava que era este Agosto, qual trunfo eleitoral. Mas nada!

Como tal, só resta perguntar: Qué do estacionamento?

O (mau) estado da nação

Como se as torrentes de política suja não fossem já suficientes, continua quase "tudo como dantes, no quartel de Abrantes".

Tal e qual como no Tâmega, para onde continua a vazar esta cascata de esgoto, mesmo ali nas barbas de S. Gonçalo, mesmo em dia de eleições, a mostrar aos mais distraídos a cloaca em que o rio (e o país) se tornou.

video

ESGOTO DE AMARANTE EVACUA NO TÂMEGA EM DIA DE ELEIÇÕES

Hoje que é domingo (27/09) e dia de eleições legislativas de 2009, em pleno centro histórico de Amarante, exactamente em frente à porta do Santo, o esgoto cumpriu mais uma vez, pronta e plenamente, o serviço de evacuação emergente no rio Tâmega...

continua no blogue Anabela Magalhães

Hoje

continuaremos a dizer Basta!
continuaremos a exigir respeito, dignidade e qualidade para a educação.
continuaremos a recusar a escola-armazém.
continuaremos a desmascarar a manipulação dos números.
continuaremos a bater-nos por uma avaliação justa.
continuaremos a rejeitar divisões absurdas na carreira.
continuaremos a denunciar a hipocrisia, a mentira e os interesses ocultos.

A luta continua. Até já.



A frase do dia


Não se conseguiu tirar sócrates do poder
mas, mas, … CONSEGUIU-SE TIRAR PODER a sócrates.

colhida nos comentários do Umbigo, aqui

domingo, 27 de setembro de 2009

A oeste nada de novo!

O grande líder da voz melíflua-assanhada canta vitória:

o povo falou livremente e deu-nos uma grande vitória
a vitória da decência e da elevação na política

a democracia respira bem e dá sinais de vitalidade
orgulho e orgulho e orgulho

A confirmação do que já conhecemos, ou seja:

com uma abstenção de quase 40%, com 36,6% de votos e 96 deputados (menos 20) abaixo da soma PSD+PP, com o crescimento do PP, do BE e da CDU, continua a ver a realidade à sua imagem e semelhança.


Algum dos nossos excelsos políticos falou disto?


Abstenção


Gostaria de ver esta abstenção, de cerca de 40%, expressa em lugares vazios no Parlamento. Ficaria bem, seria absolutamente merecido, e representativo da resposta clara dos portugueses à mediocridade da generalidade dos nossos políticos.
Abstenção - o partido português ganhador destas eleições legislativas de 27 de Setembro de 2009.

A ver vamos...

Francisco Louçã felicita os professores pela sua luta. Pudera o seu crescimento veio de onde?
Veremos se honra os compromissos. E como!

Poema do alegre desespero

Compreende-se que lá para o ano três mil e tal
ninguém se lembre de certo Fernão barbudo
que plantava couves em Oliveira do Hospital,
ou da minha virtuosa tia-avó Maria das Dores
que tirou um retrato toda vestida de veludo
sentada num canapé junto de um vaso com flores.
Compreende-se.
E até mesmo que já ninguém se lembre que houve três impérios no Egipto
(o Alto Império, o Médio Império e o Baixo Império)
com muitos faraós, todos a caminharem de lado e a fazerem tudo de perfil,
e o Estrabão, o Artaxerpes, e o Xenofonte, e o Heraclito,
e o desfiladeiro das Termópilas, e a mulher do Péricles, e a retirada dos dez mil,
e os reis de barbas encaracoladas que eram senhores de muitas terras,
que conquistavam o Lácio e perdiam o Épiro, e conquistavam o Épiro e perdiam o Lácio,
e passavam a vida inteira a fazer guerras,
e quando batiam com o pé no chão faziam tremer todo o palácio,
e o resto tudo por aí fora,
e a Guerra dos Cem Anos,
e a Invencível Armada,
e as campanhas de Napoleão,
e a bomba de hidrogénio,
e os poemas de António Gedeão.
Compreende-se.
Mais império menos império,
mais faraó menos faraó,

será tudo um vastíssimo cemitério,
cacos, cinzas e pó.

Compreende-se.
Lá para o ano três mil e tal.
E o nosso sofrimento para que serviu afinal?

António Gedeão

Tchan, tchan, tchan...


Fim dos desmandos sem controle.
Primeira vitória alcançada. O PS perde pelo menos uma dezena de deputados e uns 8%.
Vai precisar de apoio parlamentar de um qualquer dos outros partidos menores.


Resultados em 2005:
PS - 2573869 - 45,05% - 120 mandatos
PPD/PSD - 1639802 - 28,70% - 72
PCP-PEV – 432009 - 7,56% - 14
CDS-PP – 415043 - 7,26% - 12
B.E. - 364430 - 6,38% – 8
PCTP/MRPP - 47740 – 0,84%
PND - 40008 - 0,70%

Lembretes do Umbigo

Abstenção alta

Perdemos todos!















Postado com grande oportunidade e acerto pela Fátima André no Revisitar a Educação.

Hoje

Lencinhos brancos

Quem poderá esquecer?





sexta-feira, 25 de setembro de 2009

A Miragem filandesa III


Ando há que tempos para fazer a síntese que se segue. Mas como a encontrei já feita, e bem feita, limito-me a ampliar o poste de AL no seu o vento que passa :

Domingo, 8 de Fevereiro de 2009

sistema de Ensino da Finlândia: descubra as diferenças:

Na Finlândia, as turmas têm 12 alunos

Na Finlândia, há auxiliares de acção educativa acompanhando constantemente os professores e educandos

Na Finlândia, os pais são estimulados a educar as crianças no intuito de respeitarem a Escola e os Professores

Na Finlândia, os professores têm tempo para preparar aulas e são profissionais altamente respeitados

Na Finlândia, as aulas terminam às 3 da tarde e os alunos vão para casa brincar, estudar, usufruir do seu tempo livre

Na Finlândia, o ensino é totalmente gratuito, inclusivamente os livros, cadernos e outro material escolar

Na Finlândia, todas as turmas que têm alunos com necessidades educativas especiais, têm na sala de aula um professor especializado a acompanhar o aluno que necessita de apoio

Na Finlândia, não se mexe no sistema educativo há 30 anos!

Na Finlândia, não há professores avaliadores, professores avaliados nem inspectores

Na Finlândia , não há professores de primeira e de segunda

Pois é ... 1.º lugar do PISA ... há anos

postado por al

Comentários
tiago martins, 12ºc disse...

Na Finlândia não há um Sócrates...

Na Finlândia não há uma Milú...

Na Finlândia há sensatez e percepção do real...

Destaques dos últimos dias

24.09.2009 - 08h03 Graça Barbosa Ribeiro

Representantes de associações de pais e de professores criticaram ontem o Governo por, independentemente de quem vencer as eleições, já ter “colocado em causa” aquele que seria “o ‘ano um’ na exploração pedagógica do Magalhães”. Uma das vozes mais severas foi a do líder da Confederação das Associações de Pais, Albino Almeida, que um dia depois de ser acusado pelos seus pares de “colagem” ao Governo exigiu que o primeiro-ministro clarifique a situação e explique o atraso na distribuição dos computadores. (Ler mais aqui.)


21 de Setembro de 2009, 14:11

Lisboa, 21 Set (Lusa) - Cinco dirigentes da Confederação Nacional das Associações de Pais (Confap) pediram a demissão devido a "discordâncias internas sobre políticas de educação nacional", disse hoje à Lusa o vice-presidente demissionário António Amaral.

Dos cinco dirigentes associativos, três pertencem ao Conselho Executivo (Gina Oliveira, Fernando Coelho e António Amaral), e os restantes faziam parte do Conselho de Jurisdição e Disciplina (António Farto e Agostinho Almeida).

O motivo da demissão prende-se com "as posições de apoio do presidente da Confap ao governo", e ao facto de estas "não terem eco nas associações de pais do distrito de Setúbal", que os demissionários representam, explicou António Amaral.

E, finalmente, the last but not the least: O Senhor dos Tabús

Aquele que não disse uma palavra firme, não teve um gesto assisado na questão da Educação, como em muitas outras.

Aquele cujo mandato tem sido um samba de uma nota só: os desfavorecidos, ai! os desfavorecidos, ui! Entretanto não reparou que grande parte dos portugueses desceu a esse patamar.

Aquele que foi primeiro-ministro de duas maiorias absolutas com muitos casos escuros, desde o negócio do sangue contaminado até à sisa do ministro das finanças. E, mais recentemente, entregou o pé-de-meia para um certo amigo, e conselheiro, aplicar no BPN.

Aquele que com mais de um milhão de contos por dia em fundos da CEE deixou um défice superior a 5%!

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

A miragem filandesa II

Diz-que-diz-que:

Walter Lemos é apontado como possível Ministro da Educação, caso o PS vença as próximas eleições.
Ana Maria Bettencourt também.

O primeiro dispensa apresentações. T'arrenego!Da segunda já falei aqui e aqui. Relembro apenas que é uma das maiores deslumbradas com o sucesso finlandês.

Ela e outras fervorosas apoiantes da política educativa do ps (algumas bem conhecidas dos Prós e Contras, daqui e daqui) dão conta da experiência finlandesa neste blogue, em postes datados de Outubro/Novembro de 2008.

Lamentável que vejam tão bem as virtudes do sistema Finn e não sejam capazes de ver a distância abissal, agora ainda maior, que separa o nosso Portugalito desse paraíso escandinavo.

A cegueira partidária - para não lhe chamar outra coisa - tem destes mistérios!

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

A miragem finlandesa I

Para começo de conversa, dê uma leitura rápida por aqui:

Um dia na Escola de Ensino Básico de Strömberg


Miragem, Ilha do Sal, foto de JJA


Voto útil, eis a questão!

Vou socorrer-me dos estudos e simulações que encontrei ao virar das esquinas A Educação do meu Umbigo e Profavaliação . Ah inestimáveis colegas!

Primeiro, a Conclusão-Síntese do estudo de Jorge Martins (Professor de Geografia da Escola Secundária Rodrigues Lobo, em Leiria, membro dos órgãos sociais da APEDE e mestrando em Ciência Política na Universidade Nova de Lisboa) publicada a 13 de Setembro no blogue Octávio Gonçalves. (Versão integral aqui.)

Clique para ampliar a imagem.

Na mesma data, o Primeiro Fax faz aqui uma análise mais detalhada, distrito a distrito.
Vejamos o nosso:



Em ambas as análises se diz que para penalizar o PS temos que votar PSD.

«Este é um distrito especial, pois concorrem José Sócrates e Valter Lemos nas listas do PS. Portanto, portugueses que votam habitualmente no Bloco, na CDU e no CDS (votos perdidos em Castelo Branco), têm de fazer um sacrifício votando no PSD para derrotarmos o PS de Sócrates. O PS pode perder aqui 2 a 3 deputados em relação às eleições de 2005.»

O quê??? Engolir mais sapos?
Tirar votos ao PS para os dar ao PSD? Tirar a maioria a uns para a dar a outros?
E logo a quem! A uma ex-ministra da educação de má memória?

A um partido que no seu programa eleitoral afirma querer abolir «a divisão, nos termos actuais, na carreira docente»? Sublinhe-se: não é abolir a divisão. É só nos termos actuais.

Cheira-me a esturro! Tão a esturro como o Concurso para Titular.
Por isso não concorri. O tempo, infelizmente, veio a confirmar o cheirete.


terça-feira, 22 de setembro de 2009

Presunção e água benta...

Mais um caso de actualização da Arte do Antero Valério:

reflexo

Psst!... Psst!...
Olhe que não, olhe que não!


Sócrates é o pior primeiro-ministro desde 1985

José Sócrates é apontado pelos portugueses como o pior primeiro-ministro desde que Portugal entrou na União Europeia. A sondagem exclusiva da Exame/Gemeo-IPAM indica também que Cavaco Silva é o chefe do Governo mais acarinhado dos cinco políticos que governaram Portugal a partir de 1985.
O actual primeiro-ministro, José Sócrates, vai a votos no próximo domingo. Ainda que as sondagens mais recentes lhe dêem uma ligeira vantagem sobre Manuela Ferreira Leite, de uma coisa não se livra: do rótulo de pior primeiro-ministro desde 1985, ano em que Portugal aderiu à CEE.

Sócrates é apontado por 27% dos inquiridos (num total de 800 entrevistados) como o pior chefe do Governo da era europeia, batendo por quatro pontos percentuais o seu antecessor, Pedro Santana Lopes. Esta é uma das principais conclusões do estudo exclusivo que a Exame encomendou ao Gabinete de Estudos de Mercado e de Opinião, do IPAM (Instituto Português de Administração e Marketing).

Via Paulo Guinote

O castigo dos presunçosos

Com os voadores tenho também uma palavra, e não é pequena a queixa. Dizei-me, voadores, não vos fez Deus para peixes? Pois porque vos meteis a ser aves? O mar fê-lo Deus para vós, e o ar para elas. Contentai-vos com o mar e com nadar, e não queirais voar, pois sois peixes. Se acaso vos não conheceis, olhai para as vossas espinhas e para as vossas escamas, e conhecereis que não sois aves, senão peixes, e ainda entre os peixes não dos melhores.

Dir-me-eis, voador, que vos deu Deus maiores barbatanas que aos outros de vosso tamanho. Pois porque tivestes maiores barbatanas, por isso haveis de fazer das barbatanas asas?! Mas ainda mal, porque tantas vezes vos desengana o vosso castigo.

Quisestes ser melhor que os outros peixes, e por isso sois mais mofino que todos. Aos outros peixes, do alto mata-os o anzol ou a fisga, a vós sem fisga nem anzol, mata-vos a vossa presunção e o vosso capricho. Vai o navio navegando e o marinheiro dormindo, e o voador toca na vela ou na corda, e cai palpitando. Aos outros peixes mata-os a fome e engana-os a isca; ao voador mata-o a vaidade de voar, e a sua isca é o vento.

in Sermão de Santo António aos Peixes , cap. V

Peixe voador, foto de JJA

A arte tem destas coisas, não se confina a uma época, a uma sociedade, a um contexto. A arte literária, em particular, encerra uma mensagem que a todo o momento pode ser actualizada.

É o que acontece com o retrato do peixe voador, pintado por António Vieira no Sermão acima citado.
Pela «presunção e capricho» o voador lembra-me alguém... mas quem, quem?

Será que somos capazes de ser vento para iscar tal vaidade?
No domingo teremos a resposta.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Por vezes o caro... também sai caro, e...

... o que podia ser um Paraíso vira um Inferno.
Paga, Zé! Aguenta, Zé! Cala, Zé!

Amarante mirando-se no Tâmega infecto

Hoje empresto a voz a quem vive este pesadelo.
Para ficar a par dos pormenores desta catástrofe siga até aqui e aqui.

A que interesses se deve esta "barragem de silêncio nacional" sobre um assunto tão grave quanto este?
E que país é este que, sem punição, em pleno século XXI e em plena Europa, se dá ao desplante, à lata, à irresponsabilidade, ao crime de ter no seu território um rio Tâmega neste estado caótico, moribundo, agonizante?

E apesar das obras de alindamento do Largo de S. Gonçalo, com recurso a projecto do arquitecto Távora, galeria técnica xpto e da enormesca fatia de dinheiro do erário público enterrada naquela obra granítica, não sei como foi possível não precaver situações como a que hoje pudemos assistir e que foi apenas mais uma das muitas que ocorrem em pleno coração da cidade de Amarante.
Ao que parece, e segundo o técnico da empresa Águas do Ave que vinha "resolver" o caso, a tubagem foi mal dimensionada e, de quando em vez, a pressão exercida pelo detritos é de tal ordem que rebenta com umas tampas que por lá existem na galeria técnica criando uma cascata imunda, nojenta e pestilenta que cai cá bem de cima, em pleno muro que sustenta o Largo de S, Gonçalo...
Anabela Magalhães

O Tâmega – que já foi rio às portas de Amarante – agoniza a reserva de água na «zona sensível» (Decreto-Lei n.º 152/97, de 19 de Junho) da albufeira do Torrão, pela carga de nutrientes que lhe é vertida no leito.
Desde há muitos anos, em toda a extensão da albufeira criada pela Barragem do Torrão (Alpendorada - Marco de Canaveses), a prolífica cultura de algas azuis dá um colorido endémico muito verde, intensamente pastoso e pestilento às águas, imediatamente a jusante da cidade de Amarante. As suas margens, classificadas de «domínio público hídrico», outrora debruadas de areias douradas são agora pântanos de lodos negros, fétidos e nojentos onde se acumulam pastas verdes, sobras marginais de todo o tipo, lixos e latas, testemunhos de uma deplorável morbidez planetária que a civilização insustentável alcançou em terras amarantinas e o Estado consente.O rio é vital para o concelho e a região, onde a cidade alivia os efluentes que poderiam afogar a obsoleta ETAR de Amarante, pronta a ser desmantelada e substituída há vários anos – concluída e inaugurada apenas há 10 (Fev.1999) com «equipamentos de última geração vindos expressamente de Inglaterra». (Ler mais aqui.)

José Emanuel Queirós

Cascata de esgoto. Ainda bem que as fotos não têm cheiro!

Fotografias de Anabela Magalhães

"O barato sai caro", ou o preço do Paraíso, ou...

... Portugal vs Finlândia (round II)

Segundo o relatório da OCDE «Education at a Glance», divulgado há cerca de 15 dias, «Portugal gasta menos em educação do que a média dos 30 países da OCDE. No nosso país apenas 5,6% do Produto Interno Bruto (PIB) vai para despesas com a educação. Apesar do aumento de 0,6 pontos percentuais face ao ano de 1995, o país continua abaixo da média da OCDE, que chega aos 6,1%.» ( Informação daqui.)

O mesmo relatório mostra que, na Finlândia, a média do tamanho das turmas nos primeiros 6 anos da educação básica é de 19.8 alunos enquanto a média na OCDE é de 21.4 . Nos outros anos da Educação Básica a média finlandesa sobe para 20.1. Ainda assim a Finlândia situa-se entre os países com turmas mais pequenas. (Estas e outras informações colhidas aqui.)

Já agora mais uns dados :

«O orçamento total do governo finlandês para 2008 totalizou 45,5 bilhões de euros, sendo que 15%, cerca de 7 bilhões de euros, foram destinados ao Ministério da Educação. Esse orçamento faz do Ministério da Educação o segundo mais importante no país.
A Constituição de 1919 estabelece a educação básica obrigatória e gratuita para todos, instrução vocacional e instituições educacionais acadêmicas fornecidas por autoridades públicas. São cerca de 3.300 escolas primárias no país.

Segundo relatório do PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), a taxa de analfabetismo na Finlândia é de 1% entre as pessoas com 15 anos ou mais de idade. Uma das menores do mundo.

As palavras chave na política educacional finlandesa são qualidade, eficiência, igualdade e internacionalização. A educação é tratada como um fator para a competitividade. Em vez de estabelecer uma comparação, o foco do sistema está em dar apoio aos alunos e orientar os com necessidades especiais. São raros os casos de repetência escolar.»(Ler mais aqui.)

Pois é, basta atentar em pormenores como estes para perceber que

a Educação não foi uma prioridade séria deste (des)governo PS.

Santa Maria, Sal - Foto de JJA

O paraíso custa dinheiro mas custa, acima de tudo, uma vontade política determinada em fazer bem, com seriedade e honestidade.
Tudo o que M.L.R. e o duo picareta do ME não fizeram .
Ficaram-se por estratégias mais baratas e menos rectas: diabolizaram os professores, produziram torrentes de legislação absurda e incoerente, incrementaram a facilidade, manipularam os números e fizeram demagogia com Magalhães cheios de erros.

No final destes 4 anos de administração desastrada e desastrosa, só apetece actualizar a frase de Lincoln:

Se a Educação é cara...
em breve veremos quanto custa a Ignorância.

domingo, 20 de setembro de 2009

Lírios em Lisboa

Sabia-se de antemão que o protesto de ontem não chegaria nunca aos números das manifestações passadas. Os motivos para a inferior adesão são tão diversos como a menor capacidade organizativa dos movimentos ou a profunda expectativa que todos pomos nas eleições do próximo domingo - parafraseando a famigerada, estamos todos ansiosos pelos "votozinhos".

Assim sendo as concentrações de ontem assumiam um carácter simbólico: o de recordar que os professores estão aí para as curvas, não desarmaram nem desarmarão na defesa do que consideram a razão e o razoável em política de educação.

Cuidem-se, pois, os que de hoje a 8 cantem vitória, com ou sem empates técnicos.

Na 5 de Outubro, um dos três locais de concentração, estiveram professores da Covilhã. Entre eles sentiu-se o perfume dos lírios.

Foto da Teresa Marques, roubadinha ao Umbigo

Abusando um pouco mais das fotos dos outros, esta é das melhores a retratar o nosso espírito.
Ah mulheres do meu país!


sábado, 19 de setembro de 2009

Ainda o tempo...

...esse traidor que nos foge e não tem dado para destacar, como merece, o encontro de mais logo em Lisboa.


Seja porque a escola é uma casa de ácaros, seja porque o tempo (outra casta de tempo) mudou abruptamente, o facto é que o nariz virou torneira, os olhos lacrimejam, dói-me o corpo e falta-me o ar. Será o tal do vírus da A?
Logo agora que sabia tão bem para onde queria ir!

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Aqui há gato!


Gato da rua, fotos de JJA

Não é o retrato do nosso Reverendo. Nem tão pouco é meu o bichano.
Mas lembra-me alguém que de fera virou gatinho, não acham?

Sim, que isto de arreganhar a dentuça e bufar não colhe votos.
Agora é tempo de sorrisos e delicadezas, não é «seu maroto»?

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Última hora

Ouvi logo de manhã a notícia :
«Se o PS ganhar as próximas eleições a Ministra da Educação não será reconduzida no cargo
Pois, mudam as moscas mas...

Já sabíamos que tinham pouca consideração pelos professores. Agora fica ainda mais claro que esta gentinha PS acha que somos desmemoriados e burros.
Oxalá a estratégia da areia para os olhos lhes custe os"votozinhos" dos detractores mais radicais da classe docente

No próximo sábado vamos mostrar-lhes, mais uma vez, a massa de que somos feitos.
Será um a aquecimento para dia 27, certo?

Nuvem de areia, imagem daqui

Ilusões de óptica

"Olho azul", Buracona, Ilha do Sal
Foto de JJA

Em tempos prometi umas entradas sobre as mistificações que este ainda (des)governo criou acerca da reforma revolucionária que pretendia fazer na Educação em Portugal.
Fiquei-me pela primeira, porque o tempo, esse maroto (maroto está in!) não dá para tudo.

Sendo precisamente o tempo de trabalho dos professores/alunos uma das ditas mistificações, para não dizer uma das propagandeadas mentiras a justificar o insucesso escolar, pode arrumar-se já o tema com uma subtracção, um par de perguntas retóricas e alguns exemplos europeus.

Vamos ao diminuir, já que foi este o método mais usado por esta tutela PS na relação com a escola em geral e com os docentes em particular:

Horário semanal do professor português:
...35 horas........ - .........26 h...........= ................9 horas
..........................de trabalho na escola ......de trabalho individual

E depois de esgotadas estas 9 horas, pico o ponto em casa e tiro as mangas de alpaca?

Se preciso de umas 5 horas para corrigir e cotar as composições de uma turma com 22 alunos, quantas semanas levarei para entregar os testes?
Que tempo me sobra para a preparação de aulas? E para a minha (in)formação/actualização?
Afinal quando começa e acaba o meu dia de trabalho?

Quanto às famosas férias escolares, agora designadas interrupções lectivas, em Portugal não têm a mesma duração para alunos e professores, sendo que para os últimos se resumem a um mês no Verão e menos de um mês no total das férias de Natal, Carnaval e Páscoa.
(Só os mal intencionados continuam a falar dos 3 meses de férias de Verão do tempo de Salazar, esquecendo-se de acrescentar que os ditos não eram remunerados, para que a poupança fosse maior e tivesse os professores na mão.)

Ora em França, como pode conferir na página do ME francês, este ano é assim: as aulas começaram a 1 de Setembro e acabam a 2 de Julho. As férias são de 13 dias pela "Toussaint", 16 no Natal, 16 em Fevereiro e 16 na Primavera. No total cerca de 4 meses.
Na Alemanha, por exemplo na região de Berlim, as aulas começaram a 28 de Agosto e terminarão a 8 de Julho, havendo 12 dias de férias no Outono, outros 12 pelo Natal, 6 em Fevereiro e 11 na Páscoa. Cerca de três meses ao todo.
Já na Finlândia, a famosa Finlândia, como pode ver aqui, o calendário também varia com as regiões. Na zona central, há 9 dias de férias de Outono, 15 dias pelo Natal, 7 dias de férias de Inverno, as aulas terminam a 6 de Junho e recomeçarão a 15 de Agosto. Contando por baixo, 3 meses.

As aulas na Finlândia começam por volta das 8 e terminam antes das 3, (ver aqui) . Na Alemanha os alunos entram às 7. 30/ 8h e saem entre as 13 e as 15 horas. Em França a carga horária diária anda pelas 6 horas, sem aulas à quarta à tarde e ao sábado de manhã na maioria das escolas.

Diferenças reveladoras, não é? Por agora fico-me só pelo falar do tempo.

domingo, 13 de setembro de 2009

Conversa de café

O ano lectivo está à beirinha do início.
Ou melhor dito: os alunos estão quase a voltar para as aulas, porque o trabalho dos professores esse já começou, para alguns há semanas.

A escola é que parece pouco preparada ainda, com montes de lixo electrónico pelos cantos, salas viradas do avesso, gabinetes em reorganização, bar e cantina fechados, máquinas dispensadoras de alimentos desaparecidas...

Quando a fome ou a sede apertam, sobretudo a última por causa da canícula deste "Setembro quente", não há mais remédio que cruzar o pátio e a rua para nos refrescarmos no Café em frente. Abençoada seja a data em que abriu!

A maior parte dos dias, à hora de almoço, o espaço enche-se de docentes esfaimados após a manhã de trabalho jejuado, preparando o estômago para a tarde de dieta. Sabe-se lá a que horas será o jantar...

Um destes dias, depois de meia sandocha comida à pressa, pedi o café à espanhola, afogado em pedras de gelo. Enquanto este derretia, a proprietária confidenciou-me: «os senhores professores trabalham muito! Olhe que eu não imaginava... só desde que abri aqui o café é que me dei conta. Até mesmo no mês de Agosto....»

Pois, ainda ela não imagina o trabalho que levamos para casa.

Ora então se em poucos meses a dona do Café em frente deu conta da realidade, como pôde o trio disparatado, que ainda nos tutela, andar 4 anos a propalar a ideia de que que os professores são uns madraços e, vai daí, «há que pô-los a trabalhar para o sucesso»?

Ah, se calhar este é um dos tais problemazitos de falta de comunicação! Ou será de falta de delicadeza?

Quanto ao sucesso, bastava que o tivessem decretado. Seria só mais um daqueles normativos mal-escritos e pior pensados, de entre os muitos que produziram, seguido de um monte de esclarecimentos, conta-esclarecimentos e, quiçá, até de Manual de Aplicação.
Não lhes chegou para tanto a "cumpatência". Por isso tiveram que usar outras vias, como a da facilidade ou a da cosmética dos números.

Será que este é um país de cegos, ou haverá muita gente como a dona do Café da frente?
Dia 27 saberemos.


quinta-feira, 10 de setembro de 2009

O (EM) PRÉSTIMO EMPRESARIAL (FADO TRISTE DA LEI CEGA)

O jovem empresário conseguiu fundar uma empresa.
E como pequeno e médio empresário que se preza,
Desde a viabilidade à necessária papelada,
Não faltou com nada.

Para abrir com préstimo
Pediu um empréstimo
Que lhe foi concedido,
Não a fundo perdido,
Mas com incentivo… fiscal,
O que para começo… não estava mal.

Passados uns tempos,
Vieram contratempos,
E de mal a pior,
Já sem fiador,
Foi de bom pagador
A devedor-mor.

Sem face às despesas,
Com as bolsas tesas
E o fisco a apertar,
Empenhou a casa,
Ficou tábua rasa
Largou-se a chorar.

De pouco valeu,
Apenas sofreu
E ficou doente.
Depois num repente
Com vergonha na cara,
(o que é coisa rara)
Declarou falência
Pedindo clemência.

Foi à Segurança Social
Dar o seu nome
Porque tinha fome,
O que é normal.

Mas como empresário,
Ouviu sem folego,
Que tal como um falsário,
Não tinha direito
Ao fundo de desemprego.


Com a alma dorida
Que já nada consola,
De cabeça perdida
No chão se deitou,
Puxou da pistola
E ali se matou.



Luís Silva Rosa
(Set.º/2009)

Nota: Mais um "retrato" magnífico da situação deste País...É fácil incentivar os jovens Empresários...e os riscos quem os paga? E as consequências quem as sofre?!

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Um país que se espelha num rio


Era minha intenção aproveitar algumas paisagens das férias para fazer uns postes sobre o estado da nação. Era e é.
Enquanto as palavras não encontram o caminho certo no cruzamento com as fotos, trago hoje aqui para o jardim dos lírios um caso de águas verdes fluorescentes que são bem a imagem da podridão a que chegámos.

A nossa amiga Anabela Magalhães, amarantina dos quatro costados, que ama o rio-moldura da sua cidade - o Tâmega onde aprendeu a esbracejar e a espernear contra a adversidade - de há muito que vem denunciando o crime ambiental que o vídeo abaixo tão bem documenta.
.

.
Comparar este rio com o este outro da publicidade, enganosa, ...
.

.
é a mesma coisa que sabermos como este Portugal vai de mal a pior e ouvir os discursos de auto-elogio, de desavergonhado orgulho, dos nossos governantes pelas bacoradas que têm feito.

Então na educação...
nós bem sabemos até onde vai o faz-de-conta!


Já agora, como estará o nosso Zêzere?
A última vez que ouvi alguém falar deste problema foi aqui.

sábado, 5 de setembro de 2009

COMUNICADO CONJUNTO – APEDE, MUP e PROMOVA

Sexta-feira, 4 de Setembro de 2009

COMUNICADO CONJUNTO DO MUP, APEDE E PROMOVA
Na passada 4ª feira, dia 2 de Setembro, os Movimentos Independentes de Professores, APEDE, MUP e PROMOVA, e outros activistas que se têm envolvido neste processo de luta, estiveram reunidos para debaterem e tomarem uma posição conjunta sobre as iniciativas de luta a desenvolver no mês de Setembro. Do debate realizado, e após uma reflexão e troca de ideias conjuntas que teve como preocupação fundamental a manutenção da matriz essencial dos Movimentos de Professores, que é a sua independência, e a ponderação de diversos outros factores (aspectos de logística, mobilização, etc.) resultou a decisão, que agora se anuncia, da realização de uma MANIFESTAÇÃO DE PROTESTO DOS PROFESSORES, que irá decorrer, em simultâneo, em três locais distintos (Assembleia da República, Ministério da Educação e Palácio de Belém), no dia 19 de Setembro, às 15:00 horas, para que, de uma forma simbólica, articulada e original, os professores possam manifestar o seu veemente repúdio pelas políticas educativas em curso, deixando muito clara a sua disposição para continuarem a luta, caso o futuro governo, seja ele qual for, não concretizar as mudanças que temos vindo a exigir, constantes no "COMPROMISSO EDUCAÇÃO". Os detalhes organizativos e de pormenor sobre a concretização destas iniciativas serão comunicados em breve.

Apelamos a todos os colegas para que divulguem e participem activamente nesta jornada de luta, no dia 19 de Setembro, que mostrará, uma vez mais, que os professores têm memória, não desmobilizam e continuam decididos e firmemente empenhados na sua luta cívica em defesa da Escola Pública e de um Ensino de qualidade.

APEDE (Associação de Professores e Educadores em Defesa do Ensino)
MUP (Movimento para a Mobilização e Unidade dos Professores)
PROMOVA (Professores Movimento de Valorização)
Publicada por ILÍDIO TRINDADE em 19:02:00

Nota: Lá estaremos!!

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Sócrates vs Sócrates

Ora aqui está um video bem "elucidativo".
Luís, obrigada pelo link!!

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

De regresso... por causa da lata

Confesso que já por diversas vezes estiquei os dedos para teclar um regresso desta ausência que já vai longa.

Confesso que me parecia imprescindível falar de uns quantos assuntos, como a luz incansável com que a nossa Estrela alumiou o jardim, das férias, da inqualificável inscrição para titular, só para nomear alguns.

Bem podia desculpar-me com os ires e os vires de duas semanas fora, das faltas de rede e ainda de um certo mal-estar físico que me atormentou este Agosto. A verdade é que a par destas boas razões, as ideias bailavam-me na cabeça mas as palavras pareciam não querer alinhar-se, teimando em prolongar a pausa, negando-se a quebrar o silêncio.

Não me senti capaz de as contrariar e continuei muda e queda, apesar de ocasionalmente vir aqui cheirar as flores, acompanhar os blogues dos amigos mais chegados e ler os mails.

Hoje a lata do nosso ainda primeiro e da nossa ainda ministra da educação fizeram-me sair da overdose de letargia.
Arre, que virem agora falar de "falta de comunicação" e de "falta de delicadeza" revela, no mínimo, a falta de vergonha desta gente.

Espero que os professores, em particular, e os portugueses, em geral, sejam capazes de, até 27 de Setembro, esboroar as máscaras de "bonzinhos" que lhes escondem as verdadeiras caras, tal como a areia se esboroa nas figuras destes garotos cabo-verdianos.

Foto de JJA

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Socrates no debate

Coitadinhos tadinhos de nós, demos o nosso melhor e somos uns incompreendidos!


Que tal hem? Não tendes peninha dele???

Ou será que alguém percebeu alguma outra mensagem que eu não tenha entendido? Por favor esclareçam-me....