domingo, 31 de maio de 2009

Dia Feliz

Já fomos muitos mais, é certo.

Mas certo é também que hoje voltámos a encher a Avenida, aquela que tem o nome de Liberdade, ao qual hoje fizemos jus pela terceira vez.

O Sol intenso, aparentemente do lado daqueles que nestes quatro anos têm feito na educação uma política de terra-queimada, quase fazia desfalecer.
Pois podem estar seguros, o Sol e os outros, que a nossa razão não desfalece e a nossa voz não se cala. E ainda que doa continuaremos a defender a qualidade da educação.

Tivemos a brisa do nosso lado ensinando-nos que um qualquer ventinho varrerá para longe estas indignidades a que todos, professores, alunos e pais, fomos sujeitos.

Com persistência, o sol também há-de alumiar esta noite escura e triste que agora ensombra a escola. Confiemos... que ele há-de estiolar quem tentou virá-lo contra nós.

Dia feliz, pois. Duplamente feliz. Triplamente feliz.

Perto do túnel do Marquês construímos uma ponte viva de amizades blogosféricas. Mesmo sem ponto de encontro achámo-nos. Outra lição a tirar do dia: quando queremos muito os milagres acontecem.

Foi tão bom abraçar a Anabela, única e inconfundível. Quase todos os dias o fazemos virtualmente, entrelaçando as mãos através das palavras, das ideias, dos afectos. Desta vez conseguimos fazê-lo ao vivo e a cores, no meio da multidão semeada de muitos outros professores-bloggers, tenho a certeza. Oh que saudades dos ausentes: a Dudú, o Clap, a Elsa...

Toca o telefone. É a Fátima - seguida mais de longe mas com muita admiração - que vem aí. Não falta ao compromisso, a Fátima André, outro coração grande de partilhas e afectos. Nova sessão de beijos e abraços de contentamento genuíno, por estarmos juntas e por estarmos ali, de certo modo no nosso posto, como diria o Alegre.

Supremo prazer do dia: poder partilhá-las com os lírios desta casa. Ah que belo ramalhete!

De serviço à efeméride estiveram vários fotógrafos, de entre eles o amarantino Eugénio, já conhecido pelas respostas aprumadas que deu a certos deputados da "naçon". Mais uma coincidência feliz.

Aqui fica o registo, da minha máquina nas mãos já nem sei de quem, para termos a certeza que foi real.
.

35 comentários:

Adélia Rocha disse...

Eu não fui, não podia ir por vários motivos, quem me conhece sabe qual é um deles, que tanto se tem posto no meu caminho a dificutar-me a vida. Depois, devo dizê-lo não gosto particularmente de manifestações. Gostaria de viver num país em que pessoas como os professores não tivessem que "marchar" para se fazerem ouvir. Gostaria que os professores tivessem apenas que apresentar os seus argumentos. Em boa verdade, porém, vos digo, que nada fiz! Deixei um portfólio de uns 3kg a "aboborar" e "aboborei" também - juro - na cama todo o dia. Perdida na minha impotência, na minha insatisfação e num outro sentimento difuso que não sei verbalizar...Gostaria que TUDO fosse tão diferente!

Anabela Magalhães disse...

Foi tão bom!!!!!!!!!!!!

didium disse...

Lindas, lindas.

Ainda bem que se encontraram, sem ser neste espaço!

Fico feliz por vós!

Adélia,

Realmente, era tão gratificante que nada disto tivesse que acontecer, que tudo fosse tão diferente!

Um abraço

TVstar disse...

Foi um dia feliz mesmo!! Por tudo o que a Bugs disse. Adorei conhecer a Anabela Magalhães e a Fátima André, nossas companheiras e amigas blogosféricas, incansáveis e corajosas.
No entanto, o calor fêz desvanecer um pouco a nossa energia e por isso nos abrigámos numa sombra. Não fosse isso e teríamos avançado até à camara da TV....já que mais não fosse para mostrar o nosso cartaz!!! Digam lá que não estava bonito?! Ele fêz um sucesso e foi bastante fotografado.
Aqui deixo o meu protesto pela forma como as televisões (não)demonstraram e (não)reportaram o acontecimento.... Basta dizer que a sic notícias passou cerca de 17m a filmar, quase exclusivamente, o Mário Nogueira!!! Como se não houvesse uma multidão para filmar e muitas outras caras e vozes que teriam enriquecido bastante a reportagem....!! Enfim!! Sabemos que isso não convinha que se fizesse.
Fica a grande lição de patriotísmo, profissionalismo e coragem que os professores QUE LÁ ESTAVAM deram ao país e...a muitos colegas!
Um FORTE ABRAÇO a todos os que ontem sofreram pela escola pública portuguesa!!

Jorge Grandão disse...

Boa tarde, lírios da Campos
Descobri, hoje, domingo ao navegar por vários blogs de educação, para ler algumas notícias da manifestação de 30 de Maio, que em plena avenida da liberdade, tive o privilégio de fotografar quatro "lírios" muito alegres, simpáticas e fotogénicas.
Essas fotos foram tiradas, com a vossa máquina fotográfica e telemóvel.
A foto do vosso encontro com a Anabela Magalhães, não fui eu que a tirei, mas tenho pena, uma vez que teria conhecido pessoalmente a colega de grupo - História.
Após consultar o blog, verifiquei que o vosso descontentamento face a esta política de educação é tão forte como o meu. Apesar dos testes finais das minhas turmas do 7, 8, e 9.º anos que deixei na minha secretária para corrigir, não deveria faltar a mais uma etapa de luta e contestação do grupo profissional a que pertenço com muito orgulho.
E nas próximas lutas lá estarei, novamente presente.
Eu não tenho blog pessoal.
Utilizo mais a plataforma moodle para apoio dos meus alunos. E uma conta no slideshare para divulgação e partilha de trabalhos meus e dos alunos em Powerpoint. A partir do site da "minha" escola em Campo de Besteiros.
Por fim, parabéns pelo vosso blog, já consta da lista dos meus favoritos no meu PC.

TVstar disse...

Olá Jorge!! Desde ontem..!! Eu sou a "lírio" que se dirigiu a si com o telemóvel, pedindo para nos fotografar.
Seja muito bem-vindo ao nosso Blogue!! Obrigada pelas palavras simpáticas e de solidariedade. Estamos firmes na defesa da qualidade do ensino, não é verdade?! É bom conhecer colegas de carácter e coragem, por isso muito prazer e apareça sempre!!
Um Abraço

Bea disse...

Mas pq é que eu não vos dei o meu tlm pra me darem um toque????
estava mesmo ao lado! Pena, pena... mas foi bom ver que ainda há resistentes!
bjs

TVstar disse...

Ohhhh!! Pois foi pena messsmo!!
Beijinho Bea!!

Anabela Magalhães disse...

Teria gostado de te conhecer, Jorge!
Estamos irmanados pelo trabalho, também estou cheia de testes para corrigir!, e pela luta!
Palpita-me que abrirás um blogue... estarei enganada?
Quanto à plataforma moodle... sabes que me sinto espartilhada lá dentro? Não consigo respirar!:):):)
Beijinhos

as-nunes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Arménia disse...

Amigas
Foi maravilhoso ver as vossas lindas carinhas e o cartaz simbólico,bem visíveis na manifestação.Senti-me muito bem representada.Sabeis que o meu espírito está convosco .
Beijocas
Arménia

31 de Maio de 2009 22:34

TVstar disse...

Obrigada Arménia!!
Um beijinho grande para ti!!

Claudia disse...

Foi bom ... muito bom...
Infelizmente não me foi permitido participar nas manifestasções anteriores, e só eu sei a revolta redobrada por que passei...
Mas valeu, pelo entusiasmo da viagem, pela emoção de marchar pela mesma causa e pelo regresso de alma mais apaziguada.
Mas nas próximas lá estarei.
Mas sem antes de parabenizar todas as que dia a dia fazem crescer estes lírios.

TVstar disse...

Obrigada Cláudia!! Bem-vinda à luta e ao Blogue.
Quanto à próxima...só sendo antes das Legislativas, para ALERTAR as pessoas a votarem bem...!!

bugsnaEDucação disse...

Meu querido lírio negro, Adélia,
Tu foste connosco, aqui dentro do coração.
Nós sabemos que não simpatizas com esta forma de luta, mas também sabemos que não podias.
Agora ficas tu a saber que andei à procura de uma prenda para ti mas não a encontrei. Talvez para a próxima.

bugsnaEDucação disse...

Dudú, tu também estiveste connosco.
Para a próxima, se não tiveres companhia, damos-te boleia.

bugsnaEDucação disse...

Minha, nossa Star, hoje até estive com um esgotamento emocional.

Anabela Magalhães disse...

Que nada, Bugs! Esgotamento emocional teríamos nós todas se não nos tivéssemos encontrado!

bugsnaEDucação disse...

Viva, Grande Jorge!
Ficamos babadas e muito felizes com a tua ( pode ser por tu, não pode?) chegada a este jardim.
Somos muitos, de facto, a partilhar este descontentamento, o que só fortalece a nossa motivação individual. Não podíamos deixar de ir, a menos que ficássemos de mal com a nossa consciência.
Vou aproveitar a tua chegada para fazer um post, que não prometo para hoje pelas razões óbvias e porque sou lenta.
Volta sempre que queiras e sente-te em casa.
Um abraço do teu tamanho
Elsa Duarte
Aqui conhecida por bugsnaeducação

bugsnaEDucação disse...

Cláudia, não vieste tarde! Vieste quando pudeste e quando eras precisa.
Oxalá muitos mais engrossem a corrente porque este estado de coisas tem de acabar e depressa.
Fico também muito contente com a tua visita de hoje.
Puseste a roupa KO?
beijinhos

bugsnaEDucação disse...

Bea, tinha a intenção de mandar o nº de telefone, como fiz com a Fátima, só que o tempo e a memória trairam-me.
Andámos lado a lado na direcção certa e com o pensamento uns nos outros. Para a próxima organizamo-nos melhor.
beijinhos

bugsnaEDucação disse...

Tens razão, Anabela. Não encontro a palavra certa para traduzir o choque (esta também não presta que me lembro deles!) emocinal de sábado. É que me deu abalo! E continua a dar ao receber neste jardim todos estes companheiros.

bugsnaEDucação disse...

Até como letras! "emocional".

bugsnaEDucação disse...

as-nunes, obrigada pelo piropo.

Antes de mais, quero que saiba que eu também sou do tempo das “manifestações a esmo”, não bem por tudo e por nada, o que significa que também sou do tempo da outra senhora (para os jovens que eventualmente lerem isto, o tempo antes do 25 de Abril. Deformação profissional, já se vê!).
Entre um e outro, mesmo sabendo que não há democracias perfeitas, prefiro aquele em que agora vivemos.
Nem todos pensam como eu! Há até cada vez mais indícios de que alguns andam a cantar o “Ó tempo volta pra trás.» Sorte a deles que vivemos em democracia, ainda!

Mas, então, se não é usando o direito que nos dá a democracia de nos expressarmos livremente em manifestações, pacíficas e ordeiras, nem com abaixo-assinados, nem com moções, nem com a negociação, nem com os tribunais, nem com opiniões de gente especializada na matéria da educação, nem com iniciativas na Assembleia da República, nem com um ou outro recado tímido do Sr Presidente…, nem…e nem…, não me dirá, então, como podemos fazer-nos ouvir e fazer “vingar os nossos argumentos de classe”?

Muito grata lhe ficaria eu, os professores, os alunos, os pais, a nação. Quiçá até a tutela a educação o oiça.

(continua)

bugsnaEDucação disse...

Resposta a as-nunes (continuação)

Quanto a este governo lá ter as suas razões, claro que as tem.

No início desta legislatura bem nos levaram no engodo de que os sacrifícios eram para acudir à saúde financeira do país. E nós acreditámos (tansos!) e até apoiámos. Ficámos congelados nas carreiras, sem aumentos e satisfeitos connosco próprios por estarmos assim a contribuir para o bem comum!
Depois vieram com a do saneamento da educação. Aí ficámos mais atentos e fomos dizendo para os nossos botões: “bem, cansados de reformas de faz-de-conta estamos nós”. “Cada governo cada reforma, sempre sem avaliação!” “Mas lá que as escolas precisam de uma volta, precisam!”
“Venha de lá uma avaliação séria e corajosa que de vez acabe com o joio, residual mas joio”. “Tomem-se medidas para travar a indisciplina”. “Acabe-se com a rebaldaria das passagens com um ror de negativas”. “Dêem-nos as condições tecnológicas para que a escola possa competir com o mundo, e AS OUTRAS CONDIÇÕES, as de espaço digno, as de tempo, as humanas, as especializadas, para que se possa dizer, com verdade, que a escola é democrática e viabiliza o sucesso de todos os que a frequentam.

Mas, como de boas intenções está o Inferno cheio, aquela de só termos aumento no ano de eleições, confesso que me cheirou logo mal.

Depois chegaram as Aulas de Substituição: “és de Português? que importa! calças uns ténis e vais dar aula de Educação Física”. O pessoal remexeu-se, adaptou-se e acatou.

O que é facto é que, por entre as correrias de aulas nossas e dos vizinhos, continuámos a cumprir as nossas funções, com tal zelo e dedicação à causa, que quando saiu o Estatuto da Carreira Docente muita gente nem deu pela gravidade da coisa. Mea culpa, mea culpa. Estou quase como a do reclame, vou inventar uma máquina para levar bofetões.

E assim se falharam os primeiros protestos, a primeira manifestação.

Depois as mudanças sucederam-se atrapalhadas e trapalhonas. Foi o Concurso para Titular, perante cujos critérios e resultados muitos acordaram. Foi o modelo de Avaliação de Desempenho Docente – nas versões complex, simplex e barafunda. Foi o Estatuto do Aluno, que inicialmente metia no mesmo saco alunos com doenças graves e os simplesmente baldas, que vem, ainda, instaurar o branqueamento de faltas dos faltosos, sob pena de os professores inventarem (e corrigirem) provas atrás de provas para quem se dá ao gozo de nem as fazer. Foi o Modelo de Gestão que põe os poderes, até agora colegiais, nas mãos de uma só pessoa.

Cá para mim, devo ter-me esquecido de alguma. Cá para mim, ficaram com algumas medidas ainda na gaveta. A coisa não correu bem porque se tivesse corrido…

Foi aí que a malta reagiu e foi o que se tem visto. Protestos dos professores pelas vias acima enunciadas e discurso autista, demagógico, ofensivo por parte da tutela e do chefe do governo.

Chamaram-nos de tudo. Analfabetos por não sabermos aplicar as leis mal feitas, ou e até mesmo inexequíveis, que suas ex.ªs produziam torrencialmente. Incompetentes, por não passarmos quem se recusa a aprender, manchando assim as estatísticas a mostrar lá nas europas. Mentirosos calões e laxistas por não querermos ser avaliados. Trouxas por nos deixarmos manipular pelos Sindicatos. A última é: mentalmente destituídos por irmos a reboque dos líderes políticos que se cruzaram, estrategicamente, com a manifestação de sábado. Quando as ofensas são julgadas insuficientes, ameaçam.
(continua)

bugsnaEDucação disse...

resposta a as-nunes (continuação)

Portanto, quanto a este governo lá ter as suas razões, quais serão elas? Porque se encapelam tanto contra os professores, não se interroga?

É que de não cumprirmos os nossos deveres profissionais por causa dos protestos nem a dama que nos tutela se atreve a acusar-nos. Ainda no sábado afirmou que as escolas estão envolvidas no processo do final do ano com toda a normalidade, ou qualquer coisa do género que já nem posso ouvi-la quanto mais citá-la.

Pode crer que não me restam dúvidas que têm razões, porém inconfessáveis. Tenho dúvidas é que alguns as queiram ver. Já se sabe, o pior cego….

Bom, mas para que estou eu aqui com tanta explicação, o as-nunes deve saber de tudo, bem informado como, presumo que, estará pelos que lhe são próximos.

E por isso mesmo mais me espanta que, reconhecendo até erros a “julgar” nas próximas legislativas, (presumo de novo já que não percebi o seu terceiro parágrafo), venha dizer que as manifestações coisa e tal. Então, temos que comer calar até às eleições? Temos que calar antipatias ou simpatias partidárias? Soube de algum sector da manifestação que tenha feito propaganda partidária? Estavam lá todos os partidos menos o PS, pudera! MINTO, EU VI MEMBROS DESTACADOS DO PS NESTA MANIFESTAÇÃO E NO CORDÃO HUMANO, por sinal os mesmos, assim misturados com o people.

É também por ser sabedor do que se passa que me ofende por vir aqui chamar-me tolinha às ordens de um qualquer comandante. A adoptar o seu método será, então, legítimo afirmar que quem ficou em casa foi mobilizado pelo PS? Quem entregou objectivos ou pediu avaliação complex é PS?

Não funciona pois não?

Termino afirmando que a alusão à censura de um comentário seu, pessoalmente, não me atinge. Não perfilho os métodos de outros tempos, como fica provado nesta resposta.

Mas que também fique claro que não estou para receber nesta casa, que também é minha, pessoas que me destratem e me chamem nomes.

Deixo-o com duas citações sobre a demagogia na Democracia Ateniense:

«Diferentemente de Esparta, em Atenas não havia escolas públicas, embora a educação fosse obrigatória. Quando a criança chegava aos 7 anos, cabia ao pai enviar o filho a um mestre particular.»

«Surgiu um novo tipo de líder político, o “demagogo”, que mobilizava a massa popular em oposição aos aristocratas. Ao chegarem ao poder, esses líderes governavam de forma ditatorial, adoptando medidas de apelo popular. Foram chamados de tiranos pelos gregos.»

http://pt.wikipedia.org/wiki/Hist%C3%B3ria_da_democracia_em_Atenas

M. Lourdes Faria disse...

Pelos vistos contiuamos a incomodar muita gente com as nossas manifestações.
Pela minha parte peço desculpa pelo incómodo, mas devo dizer que...Se isto não mudar, havemos de lá voltar!!!
Eu voltarei, eu vou lá estar novamente e novamente me sentirei feliz por ainda poder exercer um direito que o 25 de Abril me deu, o direito de, livre e publicamente, exprimir a minha indignaçao, defender os princípios em que acredito, reivindicar direitos que conscientemente considero ter. Lá, juntamente com tantos outros professores, milhares de professores, sentirei novamente a força da Razão!
Querida colega, partilho consigo as emoçoes e os sentimentos que tão bem exprime no seu texto, sim, foi um dia triplamente feliz!
M. Lourdes

Fátima André disse...

Olá Lírios :)

Voltei do Alentejo... depois de um dia de emoções no sábado. Gostei de vos conhecer pessoalmente.
Vamos continuar a denunciar estas políticas do erro...
Um abraço e até breve :)

bugsnaEDucação disse...

Madrinha,
Obrigada pelas suas palavras. Sei que não será fácil, pois as feridas causadas por estes governantes não se limitam à escola.
Uma beijoca repenicada

bugsnaEDucação disse...

Eu também gostei muito de te conhecer, Fátima. Nutro uma admiração por ti, pelo Raúl e pelo grupo dos afectos que vem de há pouco mais de 1 ano. Não sendo crente nem praticante,admiro o modo como vivem a vossa fé, sem teias nem peias, de forma generosa e arejada.
Um beijinho e boa semana

Adélia Rocha disse...

Arménia! Que saudades de ti "piquena"! Bugs, eu sou uma mecinha simples, qualquer prendinha me cai bem, desde que seja coisa fina e tal...! Rsrsrs. Valeu a intenção!

TVstar disse...

Fátima, também gostei muito de te conhecer. Beijinhos daqui dos ares serranos!

bugsnaEDucação disse...

Lírio negro, ficamos à espera que nos perguntes, com muito entusiasmo, qual era a prenda. Ok?

Reverendo Bonifácio disse...

Ena ena o que perdi! A todos os que foram: viva! e aos outros todos que pelos mais diversos motivos não foram mas estão irmanados nesta mesma causa: viva também! A todos, da blogosfera ou de fora desta, Aquele Abraço!

Reverendo Bonifácio disse...

Uma abraço especial à madrinha, que raramente vejo, e à Arménia que também quase nunca... ainda que esta semana a tenha visto pela Campos aquando das eleições.